07/11/2018

Dificuldades de diagnóstico e tratamento do Câncer de Próstata são debatidos na Terça do Conhecimento

O enfermeiro e Conselheiro Maycon Correia falou sobre o assunto

Diante de uma plateia com cerca de 80% de profissionais da enfermagem que trabalham na Atenção Básica, o enfermeiro e conselheiro Maycon Correia palestrou sobre Câncer de Próstata em mais uma Terça do Conhecimento, dessa vez realizada na Seune, na manhã desta terça, dia 06.

O evento é organizado pelo Conselho Regional de Enfermagem de Alagoas (Coren-AL) e em novembro trará temas sobre a saúde do homem. O projeto pretende encerrar o ano com 12 palestras gratuitas.

O Câncer de Próstata ainda enfrenta um tabu do preconceito e do desconhecimento. Segundo dados do Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva, a estimativa de casos para 2018 é de 68.220 e a estimativa de mortes é de 12.772.

Um a cada 6 homens é diagnosticado com a doença e quase 50% dos homens brasileiros nunca passaram por uma consulta com o urologista. Os números são alarmantes, mas podem ser revertidos. “Mais importante que o novembro azul, são as ações contínua de promoção a saúde, prevenção e tratamento”, alertou Maycon Correia. Estudos mostram que quando detectado precocemente, o homem tem até 95% de chances de cura.

A diretora do Coren-AL, Leidjane Melo, esteve presente no evento, contribuiu para discussão e deu as boas vindas para os participantes. “A ideia da Terça do Conhecimento é aproximar o Conselho de vocês. A enfermagem está na ponta do iceberg e só através do seu fortalecimento podemos mudar índices de saúde”, afirmou.

Sonda

Como a maior parte dos profissionais presentes na palestra trabalham na Atenção Básica, um dos questionamentos foi relacionado às condições de trabalho na hora da aplicação das sondas domiciliares. “Muitas vezes chegamos nos locais e não temos a mínima de estrutura, o que pode colocar em risco o paciente e nós profissionais”, afirmou uma profissional que trabalha no interior do estado.

Para isso, o Conselho alerta que já existem dois documentos que podem dar subsídios aos profissionais. Um é a resolução do Conselho Federal de Enfermagem n° 450 que determina as competências da equipe de enfermagem em sondagem vesical e as recomendações da oficina sobre prática profissional. O outro documento é o Caderno de Atenção Primária do Ministério da Saúde.

Os profissionais de enfermagem relataram as dificuldades quanto ao diagnóstico e do tratamento, especialmente no interior do estado, onde ainda existe precariedade na saúde pública e desconhecimento por parte da população com relação a doença.

 

Confira aqui a apresentação do enfermeiro Maycon




  • Receba nossas novidades