07/11/2017

“Quem cuida dos cuidadores?”, questiona Boff na abertura do CBCENF

Palestra magna discorreu sobre a profissão de Enfermagem, os cuidadores da vida.

Aconteceu hoje (07/11), durante o 20º CBCENF, a palestra magna de abertura do evento, com o teólogo Leonardo Boff. A palestra intitulada “Cuidar da Vida: 7Sustentabilidade, Espiritualidade e Resiliência” aconteceu no anfiteatro do RioCentro e recebeu autoridades e congressistas que puderam participar ativamente do momento, enviando perguntas para o palestrante via aplicativo do CBCENF, disponível para download.

Leonardo Boff é doutor em teologia, um dos iniciadores da Teoria da Libertação (corrente progressista da Igreja Católica), assessor de movimentos populares, professor, redator da Carta da Terra, escritor e ecologista. Iniciou discorrendo um pouco sobre o cenário socioeconômico atual e política brasileira, reforçando sempre seu posicionamento e defesa em relação a inclusão, a colaboração mútuas dos indivíduos e amor ao próximo.

Ao falar em sustentabilidade, o professor focou em relacionar a saúde da Mãe Terra, como se refere ao planeta, com a saúde dos seres vivos. Apontou o aquecimento global como fator determinante na saúde das pessoas aumenta a fome e diversas doenças e contribuindo com os índices de mortalidade. O autor também fez um dura crítica ao desenvolvimento sustentável pregado pelas grandes empresas, que não correspondem aos três indicadores de sustentabilidade, que são: ser economicamente viável, socialmente justo e ecologicamente correto, pois a sustentabilidade é toda ação ou atividade que permite a continuidade da existência de cada ser.

Boff destacou o cuidado como relação amigável com a realidade e essencial a vida. O cuidado e a responsabilidade coletiva podem nos tirar da crise de saúde e reforçou a importância da profissão da enfermagem, pois sem cuidado não há cura. Leonardo Boff definiu resiliência como capacidade de enfrentar problemas, força para não desistir e aprendizado com erros. Para ele, o profissional da saúde não deve dramatizar as crises e sim vê-las como oportunidades do uso da sua criatividade para contornar as diversas situações. Reconhecendo a dificuldade de se manter forte meio problemas, citou a importância da criação de grupos de apoio mútuo e cuidado em entre si, dos enfermeiros.

A espiritualidade foi citada como ponto importante no fortalecimento dos profissionais e no atendimento aos pacientes. Traçando uma separação entre religião e espiritualidade, a caracterizou como capacidade de se conectar com o profundo, compaixão, amor, solidariedade e companheirismo, que resultam na humanização tanto do profissional quanto do paciente atendido. 

Para finalizar sua fala, Leonardo Boff citou alguns pontos importantes que os profissionais de enfermagem devem atentar: assistência ao necessitado, devolução da confiança na vida ao paciente, aceitação da condição humana e sua finalidade, atribuição de sentido na vida e acompanhamento na travessia de vida e morte.

O palestrante foi aplaudido de pé pelos congressistas e, antes de responder as perguntas enviadas durante a palestra, reforçou a necessidade de apoio aos enfermeiros. Boff lançou a pergunta “Quem cuida dos cuidadores?” e apontando que ser cuidador tem um principal ponto fácil, a necessidade humana de cuidar, e um ponto difícil, a necessidade humana de ser cuidado.

 

Fonte: Ascom – Cofen